Seguidores

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Fotos do Inicio do Projeto "vida , Obras e Personagens de Monteiro Lobato

Falando sobre-o #Livro Infantil... #Era uma vez um homem que contava #histórias, falando das #maravilhas do mundo #encantado, que só as crianças podiam ver.
Mas esse #homem que falava às crianças conseguiu descrever tão bem essas maravilhas que fez todas as pessoas acreditarem nelas. Pelo menos as #pessoas que cresceram por fora, mas continuaram sendo crianças em seus #corações.


Emília, a Boneca-Gente

De uma #caixa de costura
Pano,linha e agulha
Nasceu uma menina valente
Emília,a Boneca-Gente
Nos primeiros momento de vida
Era toda desengonçada
Ficar em pé não podia,caía
Não conseguia nada...
Emília,Emília,Emília
Emília,Emília,Emília
Mas a partir do momento
Que aprendeu a andar
#Emília tomou uma pílula
E tagarelou,tagarelou a falar
Tagarelou,tagarelou a falar
#Ela é feita de pano
Mas pensa como um ser humano
Esperta e atrevida
É uma #maravilha
Emília,Emília
Emília,Emília,Emília
Emília,Emília,Emília

Para #história,ela tem um plano
Inventa mil idéias,não entra pelo cano
Ah,essa #boneca é uma maravilha!
#Leitura/ #Xuxa
De repente naveguei 
Como o pirata da #perna de pau 
Num instante me encontrei 

Defendendo jacaré no pantanal
Em seguida eu vivi 
Uma #história de amor ao luar 
Cada dia uma aventura 
A leitura faz a gente viajar
É bom voar nas asas da imaginação 
É #alimentar o corpo, a mente e o coração (Bis)
#Lendo a gente pode ser 
Tudo aquilo que a gente sonhar 
Se conhece o mundo inteiro 
Sem ao menos sair do lugar
Conhecemos as pessoas 
E o que existe entre o céu e o mar 
E numa lição de vida 
Aprender pra depois #ensinar




domingo, 15 de abril de 2018

Fazendo Arte com Monteiro Lobato















Biografia de Monteiro Lobato


Monteiro Lobato (1882-1948) foi um escritor e editor brasileiro. "O Sítio do Pica-pau Amarelo" é sua obra de maior destaque na literatura infantil. Criou a "Editora Monteiro Lobato" e mais tarde a "Companhia Editora Nacional". Foi um dos primeiros autores de literatura infantil de nosso país e de toda América Latina. Metade de suas obras é formada de literatura infantil. Destaca-se pelo caráter nacionalista e social. O universo retratado em suas obras são os vilarejos decadentes e a população do Vale do Paraíba, quando da crise do café. Situa-se entre os autores do Pré-Modernismo, período que precedeu a Semana de Arte Moderna.
Monteiro Lobato (1882-1948) nasceu em Taubaté, São Paulo, no dia 18 de abril de 1882. Era filho de José Bento Marcondes Lobato e Olímpia Monteiro Lobato. Alfabetizado pela mãe, logo despertou o gosto pela leitura, lendo todos os livros infantis da biblioteca de seu avô o Visconde de Tremembé. Desde menino já mostrava seu temperamento irrequieto, escandalizou a sociedade quando se recusou fazer a primeira comunhão. Fez o curso secundário em Taubaté. Com 13 anos foi estudar em São Paulo, no Instituto de Ciências e Letras, se preparando para a faculdade de Direito.
Registrado com o nome de José Renato Monteiro Lobato, resolve mudar de nome, pois queria usar uma bengala, que era de seu pai, que havia falecido no dia 13 de junho de 1898. A bengala tinha as iniciais J.B.M.L gravadas no topo do castão, então mudou de nome, passou a se chamar José Bento, assim as suas iniciais ficavam iguais às do pai.
Ingressou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco na capital, formando-se em 1904. Na festa de formatura fez um discurso tão agressivo que vários professores, padres e bispos se retiraram da sala. Nesse mesmo ano voltou para Taubaté. Prestou concurso para a Promotoria Pública, assumindo o cargo na cidade de Areias, no Vale do Paraíba, no ano de 1907.
Monteiro Lobato casou-se com Maria Pureza da Natividade, em 28 de março de 1908. Com ela teve quatro filhos, Marta (1909), Edgar (1910), Guilherme (1912) e Rute (1916). Paralelamente ao cargo de Promotor, escrevia para vários jornais e revistas, fazia desenhos e caricaturas. Ficou em Areias até 1911, quando muda-se para Taubaté, para a fazenda Buquira, deixada como herança pelo seu avô.
No dia 12 de novembro de 1912, o jornal O Estado de São Paulo publicou uma carta sua enviada à redação, intitulada "Velha Praga", onde destaca a ignorância do caboclo, criticando as queimadas e que a miséria tornava incapaz o desenvolvimento da agricultura na região. Sua carta foi publicada e causou grande polêmica. Mais tarde, publica novo artigo "Urupês", onde aparece pela primeira vez o personagem "Jeca Tatu".
Em 1917 vende a fazenda e vai morar em Caçapava, onde funda a revista "Paraíba". Nos 12 números publicados, teve como colaboradores Coelho Neto, Olavo Bilac, Cassiano Ricardo entre outras importantes figuras da literatura. Muda-se para São Paulo, onde colabora para a "Revista do Brasil". Entusiasmado compra a revista e, transformando-se em editor. Publica em 1918, seu primeiro livro "Urupês", que esgota sucessivas tiragens. Transforma a Revista em centro de cultura e a editora numa rede de distribuição com mais de mil representantes.
No dia 20 de dezembro de 1917, publica no jornal O Estado de São Paulo, um artigo intitulado "Paranoia ou Mistificação?", onde critica a exposição de Anita Malfatti, pintora paulista recém chegada da Europa. Estava criada uma polêmica, que acabou se transformando em estopim do Movimento Modernista.
Monteiro Lobato, em sociedade com Octalles Marcondes Ferreira, funda a "Companhia Gráfico-Editora Monteiro Lobato". Com o racionamento de energia, a editora vai à falência. Vendem tudo e fundam a "Companhia Editora Nacional". Lobato muda-se para o Rio de Janeiro e começa a publicar livros para crianças. Em 1921 publica "Narizinho Arrebitado", livro de leitura para as escolas. A obra fez grande sucesso, o que levou o autor a prolongar as aventuras de seu personagem em outros livros girando todos ao redor do "Sítio do Pica-pau Amarelo". Em 1927 é nomeado, por Washington Luís, adido comercial nos Estados Unidos, onde permanece até 1931.
Como escritor literário, Lobato destacou-se no gênero "conto". O universo retratado, em geral são os vilarejos decadentes e as populações do Vale do Paraíba, quando da crise do plantio do café. Em seu livro "Urupês", que foi sua estreia na literatura, Lobato criou a figura do "Jeca Tatu", símbolo do caipira brasileiro. As histórias do "Sítio do Pica-pau Amarelo", e seus habitantes, Emília, Dona Benta, Pedrinho, Tia Anastácia, Narizinho, Rabicó e tantos outros, misturam a realidade e a fantasia usando uma linguagem coloquial e acessível.
O livro "Caçadas de Pedrinho", publicado em 1933, que faz parte do Programa Nacional Biblioteca na Escola, do Ministério da Educação, está sendo questionado pelo movimento negro, por conter "elementos racistas". O livro relata a caçada a uma onça que está rondando o sítio. "É guerra e das boas, não vai escapar ninguém, nem tia Anastácia, que tem cara preta".
José Renato Monteiro Lobato morreu no dia 5 de julho de 1948, de problemas cardíacos.
Obras de Monteiro Lobato
Ideias de Jeca Tatu, conto, 1918
Urupês, conto, 1918
Cidades Mortas, conto, 1920
Negrinha, conto, 1920
O Saci, literatura infantil, 1921
Fábulas de Narizinho, literatura infantil, 1921
Narizinho Arrebitado, literatura infantil, 1921
O Marquês de Rabicó, literatura infantil, 1922
O Macaco que se fez Homem, romance, 1923
Mundo da Lua, romance, 1923
Caçadas de Hans Staden, literatura infantil, 1927
Peter Pan, literatura infantil, 1930
Reinações de Narizinho, literatura infantil, 1931
Viagem ao Céu, literatura infantil, 1931
Caçadas de Pedrinho, 1933
Emília no País da Gramática, literatura infantil, 1934
História das Invenções, literatura infantil, 1935
Memórias da Emília, literatura infantil, 1936
Histórias de Tia Nastacia, literatura infantil, 1937
Serões de Dona Benta, literatura infantil, 1937
O Pica-pau Amarelo, literatura infantil, 1939
Fábulas de Monteiro Lobato
O Cavalo e o Burro
A Coruja e a Águia
O Lobo e o Cordeiro
O Corvo e o Pavão
A Formiga Má
A Garça Velha
As Duas Cachorras
O Jaboti e a Peúva
O Macaco e o Coelho
O Rabo do Macaco
Os Dois Burrinhos
Os Dois Ladrões
A caçada da Onça
Jeca Tatu
É no livro "Urupês", que Monteiro Lobato retrata a imagem do caipira brasileiro, onde destaca a pobreza e a ignorância do caboclo, que o tornava incapaz de auxiliar na agricultura. O Jeca Tatu é um flagrante do homem e da paisagem do interior. O personagem se tornou um símbolo nacionalista utilizado por Rui Barbosa em sua campanha presidencial de 1918. Na quarta edição do livro, Lobato pede desculpas ao homem do interior.
Veja também as biografias de:
Ariano Suassuna (1927 - 2014) foi um escritor brasileiro. O Auto da Compadeci...
Graciliano Ramos (1892-1953) foi um escritor brasileiro. O romance "Vidas Sec...
Oswald de Andrade (1890-1954) foi escritor brasileiro. Fundou junto com Tarsi...
Jorge Amado (1912-2001) foi um escritor brasileiro. O romance "Gabriela Cravo...
Mário de Andrade (1893-1945) foi um escritor brasileiro. Publicou "Pauliceia...
Euclides da Cunha (1866-1909) foi um escritor brasileiro, autor da obra "Os S...
Érico Veríssimo (1905-1975) foi escritor brasileiro. Olhai os Lírios do Campo...
Bernardo Guimarães (1825-1884) foi um romancista e poeta brasileiro. "A Escra...
Joaquim Manuel de Macedo (1820-1822) foi escritor brasileiro. A Moreninha, se...
Guimarães Rosa (1908-1967) foi escritor brasileiro. O romance "Grande Sertão:...
Fonte:https://www.ebiografia.com/monteiro_lobato/

Obras de Monteiro Lobato


Monteiro Lobato nasceu na cidade de Taubate em 18 de abriu 1882. Foi um grande tradutor, escritor, contista e ensaista. Sua criação mais conhecida foi o Sítio do Picapau Amarelo. Faleceu em 4 de julho de 1948.

Literatura Infantil 
1920 - A menina do narizinho arrebitado
1921 - Fábulas de Narizinho 
1921 - Narizinho arrebitado 
1921 - O Saci 
1922 - O marquês de Rabicó
1922 - Fábulas 
1924 - A caçada da onça 
1924 - Jeca Tatuzinho 
1924 - O noivado de Narizinho 
1927 - As aventuras de Hans Staden 
1928 - Aventuras do príncipe 
1928 - O Gato Félix 
1928 - A cara de coruja 
1929 - O irmão de Pinóquio
1929 - O circo de escavalinho 
1930 - Peter Pan 
1930 - A pena de papagaio 
1931 - Reinações de Narizinho 
1931 - O pó de pirlimpimpim 
1932 - Viagem ao céu 
1933 - Caçadas de Pedrinho 
1933 - Novas reinações de Narizinho 
1933 - História do mundo para as crianças 
1934 - Emília no país da gramática 
1935 - Aritmética da Emília 
1935 - Geografia de Dona Benta 
1935 - História das invenções 
1936 - Dom Quixote das crianças 
1936 - Memórias da Emília 
1937 - Serões de Dona Benta 
1937 - O poço do Visconde 
1937 - Histórias de Tia Nastácia 
1938 - O museu da Emília 
1939 - O Picapau Amarelo 
1939 - O minotauro 
1941 - A reforma da natureza 
1942 - A chave do tamanho 
1944 - Os doze trabalhos de Hércules 
1947 - Histórias diversas 

Outras obras - temática adulta
O Saci Pererê: resultado de um inquérito (1918) 
Urupês (1918) 
Problema vital (1918) 
Cidades mortas (1919) 
Ideias de Jeca Tatu (1919) 
Negrinha (1920) 
A onda verde (1921) 
O macaco que se fez homem (1923) 
Mundo da lua (1923) 
Contos escolhidos (1923) 
O garimpeiro do Rio das Garças (1924) 
O choque (1926) 
Mr. Slang e o Brasil (1927) 
Ferro (1931) 
América (1932) 
Na antevéspera (1933) 
Contos leves (1935) 
O escândalo do petróleo (1936) 
Contos pesados (1940) 
O espanto das gentes (1941) 
Urupês, outros contos e coisas (1943) 
A barca de Gleyre (1944) 
Zé Brasil (1947) 
Prefácios e entrevistas (1947) 
Literatura do minarete (1948) 
Conferências, artigos e crônicas (1948) 
Cartas escolhidas (1948) 
Críticas e Outras notas (1948) 
Cartas de amor (1948) 
Fonte:https://www.suapesquisa.com/biografias/obras_monteiro_lobato.htm

Projeto de Leitura: Vida, Obras e Personagens de Monteiro Lobato/Atividades para colorir



O projeto tem o intuito de estimular a leitura.Acreditando que a mesma deve ser fonte de prazer, escolhemos estudar a vida, algumas obras e personagens  do PAI DA LITERATURA INFANTIL, Monteiro Lobato.
Além de amar ler e escrever para crianças e adultos, este grande escritor, fazendeiro e jornalista, procurou transformar o Brasil num país moderno e desenvolvido por meio de muita coragem e criatividade. Em suas obras destacam-se alguns aspectos relevantes e que merecem nosso respaldo.
- Seus personagens que se repetem em todas as narrativas;

- o emprego de crianças como heróis, promovendo imediata identificação com o leitor;

- a ausência de autoritarismo e de imagens adultas repressoras;

- a opinião das crianças personagens é respeitada;

- a curiosidade e a criatividade são estimuladas.E, como conclui CHIAVINI (1994, p. 473): “Como é fácil lidar com os pequenos... Eles aceitam incondicionalmente as ofertas sinceras, deixam-se cativar sem medo por tudo aquilo de que possam auferir prazer, e nos contagiam com o gosto com o qual se envolvem nas tarefas propostas. E são reconhecidos”.                                                                                                                                                                                                                             

                                                                                       Fonte de pesquisa:Internet




























                                                                 Pesquisa feita na Internet

sábado, 14 de abril de 2018

Biografia de Monteiro Lobato, literatura infantil, sua grande obra O Sitio do Pica-Pau Amarelo, principais obras de Monteiro Lobato.


Sou professora de literatura na Escola CEIM Jardim de Infância Corina Bicalho Guimarães
Dia 18 de abril vamos iniciar o Projeto:  “Vida , obras e personagens  de Monteiro Lobato”. Ele era
Contista, ensaísta e tradutor, este grande nome da literatura brasileira nasceu na cidade de Taubaté, interior de São Paulo, no ano de 1882. Formado em Direito, atuou como promotor público até se tornar fazendeiro, após receber herança deixada pelo avô.  Diante de um novo estilo de vida, Lobato passou a publicar seus primeiros contos em jornais e revistas, sendo que, posteriormente, reuniu uma série deles em Urupês, obra prima deste famoso escritor.

 Em uma época em que os livros brasileiros eram editados em Paris ou Lisboa, Monteiro Lobato tornou-se também editor, passando a editar livros também no Brasil. Com isso, ele implantou uma série de renovações nos livros didáticos e infantis. 
 Este notável escritor é bastante conhecido entre as crianças, pois se dedicou a um estilo de escrita com linguagem simples onde realidade e fantasia estão lado a lado. Pode-se dizer que ele foi o precursor da literatura infantil no Brasil. 
 Suas personagens mais conhecidas são: Emília, uma boneca de pano com sentimento e idéias independentes; Pedrinho, personagem que o autor se identifica quando criança; Visconde de Sabugosa, a sabia espiga de milho que tem atitudes de adulto, Cuca, vilã que aterroriza a todos do sítio, Saci Pererê e outras personagens que fazem parte da inesquecível obra: O Sítio do Pica-Pau Amarelo, que até hoje encanta muitas crianças e adultos. 
 Escreveu ainda outras incríveis obras infantis, como: A Menina do Nariz Arrebitado, O Saci, Fábulas do Marquês de Rabicó, Aventuras do Príncipe, Noivado de Narizinho, O Pó de Pirlimpimpim, Reinações de Narizinho, As Caçadas de Pedrinho, Emília no País da Gramática, Memórias da Emília, O Poço do Visconde, O Pica-Pau Amarelo e A Chave do Tamanho. 
 Fora os livros infantis, este escritor brasileiro escreveu outras obras literárias, tais como: O Choque das Raças, Urupês, A Barca de Gleyre e o Escândalo do Petróleo. Neste último livro, demonstra todo seu nacionalismo, posicionando-se totalmente favorável a exploração do petróleo apenas por empresas brasileiras. 
 No ano de 1948, o Brasil perdeu este grande talento que tanto contribuiu com o desenvolvimento de nossa literatura.

 Frases de Monteiro Lobato
 - "De escrever para marmanjos já estou enjoado. Bichos sem graça. Mas para crianças um livro é todo um mundo".
 - "É errado pensar que é a ciência que mata uma religião. Só pode com ela outra religião".
 - "O livro é uma mercadoria como qualquer outra; não há diferença entre o livro e um artigo de alimentação. (...) Se o livro não vende é porque ele não presta".









- "Tudo tem origem nos sonhos. Primeiro sonhamos, depois fazemos".

Fonte: https://www.suapesquisa.com/biografias/monteirolobato

Maria Aparecida Rodrigues Marques

Minha foto

Professora Maria Aparecida R. Marques mas podem me chamar de (Cida Marques) Professora graduada em pedagogia pela Fundação Universidade do Tocantins e Pós Graduada em Artes, Gestão Publica , Educação Infantil e Series Iniciais pela Faculdade de administração FACEL. Professora concursada em duas matriculas pela rede municipal. Contato pelo email: cidarmarques2@hotmail.com tenho 45 anos, sou casada, tenho dois filhos lindo, um de 05 anos e o outro 24 anos. Trabalho na Educação Infantil municipal a 22 anos. Amo o que faço, busco sempre melhorar, procuro entender meus alunos para poder ajudá-los. Para mim ser professora é uma missão. Agradeço a Deus por ter me dado essa oportunidade e os meus pais por terem me incentivado.

ENSINANDO COM AMOR E NÃO POR AMOR!

Plano de Aula, História, Relatório, sequência didática,Educação Infantil, Projetos,Releitura,Música,Brincadeiras Dirigidas, Teatro...

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email