Maria Aparecida Rodrigues Marques

Minha foto

Professora Maria Aparecida R. Marques mas podem me chamar de (Cida Marques) Professora graduada em pedagogia pela Fundação Universidade do Tocantins e Pós Graduada em Artes, Gestão Publica , Educação Infantil e Series Iniciais pela Faculdade de administração FACEL. Professora concursada em duas matriculas pela rede municipal. Contato pelo email: cidarmarques2@hotmail.com tenho 45 anos, sou casada, tenho dois filhos lindo, um de 05 anos e o outro 24 anos. Trabalho na Educação Infantil municipal a 22 anos. Amo o que faço, busco sempre melhorar, procuro entender meus alunos para poder ajudá-los. Para mim ser professora é uma missão. Agradeço a Deus por ter me dado essa oportunidade e os meus pais por terem me incentivado.

sexta-feira, 30 de março de 2012

O ANJO AZUL



Era uma vez alguns floquinhos de nuvens e lá viviam muitos anjinhos.Entre eles o mais levado era o Anjinho Azul.
Ha! como esse anjinho dava trabalho para seus amiguinhos.


Ele perturbava a lua no seu sossego...
Puxava as asas do Anjinho Verde...
Furava a nuvem onde o Anjinho Rosa dormia...
E escondia os óculos da professora.

O Anjinho Azul ainda mudava as estrelinhas de lugar.
O professora já estava ficando de cabelos brancos com tantas travessuras do Anjinho Azul.
Depois de muito pensar, a professora teve uma grande idéia.


Vou trabalhar com ajudantes do dia,todos os dias vou eleger um ajudante, com algumas regras, o anjinho que cometesse alguma travessura não seria o ajudante do dia.
Assim depois de muito tempo, muitas conversas, ele tornou – se um ótimo anjinho.

Autora: Gerusa Rodrigues Pinto
Editora FAPI LTDA
Adaptado por Maria Aparecida R. Marques


A indisciplina deve ser tratada de uma maneira diferente. Dizer que o aluno é indisciplinado não é o certo. Ele apenas não foi trabalhado pela família. Indisciplina parte da necessidade do aluno em chamar a atenção sobre o incômodo em algum aspecto da sua vida. A conversa é a principal arma para “educar” esses alunos. “Não existe punição, mas conversa”. Indisciplina não pode ser tratada com métodos evasivos.

Por Maria Aparecida R. Marques

sexta-feira, 23 de março de 2012

PROJETO:ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL/PLANO DE AULA

CEIM Casulo Santa Terezinha do Menino Jesus
Data:09 a 13 de abril de 2012
Tema: Alimentação saudável(Alternativa) e saúde
Semestre: 1º
Idade: 03 anos
Professora; Maria Aparecida Rodrigues Marques.

Atividades de rotina

Competências:

*Conhecer sobre hábitos de alimentação saudável,
*Entender benefícios para o corpo através da alimentação,
*Compreender os malefícios de uma alimentação desregrada,
*Identificar uma alimentação saudável(Alternativa);
* Exercitar atividades que envolvam o tema abordado

Incentivação:

-Mural
-Música
-História

Habilidades:

*Conhecer e valorizar uma alimentação saudável(Alternativa;

Desenvolvimento:

Conversa informal sobre o tema abordado.
Iniciar a aula com alguma história ou notícia sobre alimentação saudável, discutir com os alunos sobre os hábitos errados de alimentação, se eles conhecem esses erros. Levar para a sala recortes de jornais e revistas de alimentos industrializados como salgadinhos e refrigerantes e de alimentos saudáveis como frutas e legumes.
As crianças irão produzir cartazes mostrando os alimentos que possuem muita gordura, açúcar e sal e os alimentos saudáveis. Dispor revistas e tesouras para que as crianças busquem tais alimentos.


Atividades:

09/04 - História e DVD ( caixa surpresa) e confecção de cartazes
10/04-Colagem de crepom(suco natural) e música
11/04 - Colagem ( banana)
12/04-Pinte as frutas usando cores indicadas
13/04-História (branca de neve) e pinte a fruta envenenada

Projetos desenvolvidos:

Alimentação saudável(Alternativa);

                  
JUSTIFICATIVA:

A escola é um espaço privilegiado para a promoção da saúde e desempenha papel fundamental na formação de valores, hábitos e estilos de vida, entre eles o da alimentação.
O mercado da alimentação tem sido um dos mais prósperos da última década e sua conceituação vem se aperfeiçoando de segurança alimentar para segurança do alimento. De norte a sul, de leste a oeste, o assunto “Alimentação Saudável” é mais do que um tema: é uma meta.
                                     

OBJETIVO GERAL:

Promover o consumo de alimentos saudáveis e a consciência de sua contribuição para a promoção da saúde de uma forma atraente, lúdica e educativa.




 OBJETIVOS:

*Conscientizar os alunos sobre a importância e os motivos pelos quais nos alimentamos;

 *Reconhecer os alimentos que faz bem à nossa saúde;
* Identificar cores, textura e os diferentes sabores dos alimentos.

* Valorizar o momento reservado à alimentação.


PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS (AÇÕES)




Conversa e registro (desenhos, mural e histórias) sobre a alimentação preferida das crianças;

Registro dos alimentos por eles;

Identificação de semelhanças e diferenças entre hábitos alimentares dos alunos;

Construção de charadas que misturem informações sobre formas, cores e tamanhos das frutas, verduras e legumes;

Construção de jogo da memória a partir de imagens de frutas, verduras e legumes recortadas pelos alunos;

Identificação de frutas, verduras e legumes através do olfato e tato, utilizando a caixa surpresa;

Solicitar que cada aluno traga de casa uma fruta, verdura ou legumes e conversar sobre as preferências através da degustação;

Trabalhar com recorte de frutas, verduras e legumes e pedir que os alunos construam uma piramide que represente uma alimentação saudável;


PRODUTO FINAL



Finalizaremos o projeto saboreando uma salada de frutas,contendo as frutas preferidas dos alunos.
AVALIAÇÃO

A avaliação ocorrerá de forma coletiva, com a participação do grupo e também através de relatório organizado pela professora.

BIBLIOGRAFIAMARTINS, Rosicler. Vida e Alimento. São Paulo: Moderna, 1993.Revista Cozinha Prática. Publicação editada pela parceria Instituto do Coração e Edições Cozinha Saudável (Internet).BELINK, Tatiana. A cesta da dona Maricota. São Paulo: Paulinas, 2005.

                                              
HISTÓRIA DAS FRUTINHAS AMIGAS


Era uma  vez uma frutinha chamada pêra e ela tinha muitos amigos, vamos conhecer? Eu sou a pera  verde. Uma fruta linda e deliciosa. Vou apresentar a vocês alguns amigos, todos muito coloridos, saborosos, mas às vezes esquisitos.
São ricos em vitaminas e sais minerais, o que é muito bom para a saúde.
Eu sou o abacaxi. Minha casca é dura e verde, mas quando estou maduro fico amarelado. Minha poupa é macia e suculenta. Sou muito gostoso, posso virar sucos e doces. Sou muito nutritivo e ajudo na formação dos ossos, para a criança ficar bem forte e saudável.

Já sabem, né! Eu sou a laranja. Sou laranjada por fora e amarelinha por dentro, muito rica em vitaminas. O limão, a lima e a tangerina são meus parentes. Viro um delicioso suco.

Amiguinhos, agora que vocês já sabem quem somos, que tal pedir a mamãe para ajudar a procurar figuras de frutas e brincar de “Você sabe quem eu sou?”. Depois, vocês podem fazer um passeio pelas feiras, sentindo o cheiro, a textura e as cores das frutas. Podem também ajudar a escolher as compras, sem apertar as frutas, e quando chegarem em casa, lavar uma por uma e guardá-las para a mamãe, que depois poderá fazer belos sanduíches, saladas e vitaminas. Hummmmmmmm, que delícia!




segunda-feira, 19 de março de 2012

ESPECIAL PÁSCOA-LEMBRANÇAS EM EVA



super dica... viseira de páscoa feitas com EVA ou cartolinha... vejam que lindos coelhinhos...

Confiram! Idéias lindas da revista Professor Sassá











terça-feira, 13 de março de 2012

HISTÓRIA DO CIRCO/PLANO DE AULA


CEIM Casulo Santa Terezinha do Menino Jesus
Tema: Dia do Circo Semestre: 1º
Data: 15 de março de 2012
Idade: 03 anos
Professora; Maria Aparecida Rodrigues Marques.

Atividades de rotina



Competências:
*Reconhecer e valorizar o dia do Circo;

Incentivação:

-Mural
-Música

Habilidades:

* Conhece e valoriza o dia do Circo;
*Demonstra criatividade.

Desenvolvimento:

Conversa informal sobre o tema abordado.

Atividades:

15/03 – Historia do dia do Circo e Pintura (Circo).

Projeto desenvolvido:

" Circo é alegria"

Comemora-se o Dia do Circo em 27 de março, numa homenagem ao palhaço brasileiro Piolin, que nasceu nessa data, no ano de 1897, na cidade de Ribeirão Preto, São Paulo.

Considerado por todos que o assistiram como um grande palhaço, se destacava pela enorme criatividade cômica e pela habilidade como ginasta e equilibrista. Seus contemporâneos diziam que ele era o pai de todos os que, de cara pintada e colarinho alto, sabiam fazer o povo rir.

                                  

É praticamente impossível determinar uma data específica de quando ou como as práticas circenses começaram. Mas pode-se apostar que elas se iniciaram na China, onde foram encontradas pinturas de 5 000 anos, com figuras de acrobatas, contorcionistas e equilibristas. Esses movimentos faziam parte dos exercícios de treinamento dos guerreiros e, aos poucos, a esses movimentos foram acrescentadas a graça e a harmonia.

Conta-se ainda que no ano 108 a.C aconteceu uma enorme celebração para dar as boas-vindas a estrangeiros recém-chegados em terras chinesas. Na festa, houve demonstrações geniais de acrobacias. A partir de então, o imperador ordenou que sempre se realizassem eventos dessa ordem. Uma vez ao ano, pelo menos.

Também no Egito, há registros de pinturas de malabaristas. Na Índia, o contorcionismo e o salto são parte integrante dos espetáculos sagrados. Na Grécia, a contorção era uma modalidade olímpica, enquanto os sátiros já faziam o povo rir, numa espécie de precursão aos palhaços.

NO PALCO DA HISTORIA

Por volta do ano 70 a.C, surgiu o Circo Máximo de Roma, que um incêndio destruiu totalmente, causando grande comoção. Tempos depois, no ano 40 a.C, construíram no mesmo lugar o Coliseu, com capacidade para 87 mil pessoas. No local, havia apresentações de engolidores de fogo, gladiadores e espécies exóticas de animais.

Com a perseguição aos seguidores de Cristo, entre os anos 54 e 68 d.C, esses lugares passaram a ser usados para demonstrações de força: os cristãos eram lançados aos leões, para serem devorados diante do público.
Os artistas procuraram, então, as praças, feiras ou entradas de igrejas para apresentarem às pessoas seus malabarismos e mágicas.
Ainda na Europa do século XVIII, grupos de saltimbancos se exibiam na França, Espanha, Inglaterra, mostrando suas habilidades em simulações de combates e na equitação.

O CIRCO MODERNO

A estrutura do circo como o conhecemos hoje teve sua origem em Londres, na Inglaterra. Trata-se do Astley's Amphitheatre, inaugurado em 1770, pelo oficial inglês da Cavalaria Britânica, Philip Astley.
O anfiteatro tinha um picadeiro com uma arquibancada próxima e sua atração principal era um espetáculo com cavalos. O oficial percebeu, no entanto, que só aquela atração de cunho militar não segurava o público e passou a incrementá-la com saltimbancos, equilibristas e palhaços.
O palhaço do lugar era um soldado, que entrava montado ao contrário e fazia mil peripécias. O sucesso foi tanto, que adaptaram novas situações.
Era o próprio oficial Astley quem apresentava o show, vindo daí a figura do mestre de cerimônias.


QUANDO O CIRCO CHEGOU AO BRASIL

No Brasil, a história do circo está muito ligada à trajetória dos ciganos em nossa terra, uma vez que, na Europa do século dezoito, eles eram perseguidos. Aqui, andando de cidade em cidade e mais à vontade em suas tendas, aproveitavam as festas religiosas para exibirem sua destreza com os cavalos e seu talento ilusionista.

Procuravam adaptar suas apresentações ao gosto do público de cada localidade e o que não agradava era imediatamente tirado do programa.

Mas o circo com suas características itinerantes aparece no Brasil no final do século XIX. Instalando-se nas periferias das cidades, visava às classes populares e tinha no palhaço o seu principal personagem. Do sucesso dessa figura dependia, geralmente, o sucesso do circo.
O palhaço brasileiro, por sua vez, adquiriu características próprias. Ao contrário do europeu, que se comunicava mais pela mímica, o brasileiro era falante, malandro, conquistador e possuía dons musicais: cantava ou tocava instrumentos.

CIRCO CONTEMPORÂNEO

Circo contemporâneo é o que se aprende na escola. Fenômeno conseqüente das mudanças de valores na sociedade e suas novas necessidades. Grande parte dos profissionais do circo mandaram seus filhos para a universidade, fazendo com que as novas gerações da lona trabalhem mais na administração.


Em fins dos anos 70, começam a aparecer as primeiras escolas de circo, no mundo inteiro. Na França, a primeira a surgir foi a Escola Nacional de Circo Annie Fratellini, em 1979, com o apoio do governo francês.

No Canadá, artistas performáticos têm aulas com ginastas e, em 1981, é criada uma escola de circo para atender à necessidade desses novos acrobatas.


Interessante lembrarmos, no entanto, que essa importância que o circo assume no mundo capitalista já era cultivada na ex-URSS, desde a década de 20. Data de 1921 a criação de uma escola de circo na União Soviética, que coloca o circo no patamar de arte, com inovação dos temas e das formas de apresentação.


ESCOLAS E GRUPOS BRASILEIROS

No Brasil, a primeira escola de circo foi criada em São Paulo, em 1977, com o nome de Piolin (que é também o nome de um grande palhaço brasileiro). Funcionava no estádio do Pacaembu.

No Rio de Janeiro, surge em 1982 a Escola Nacional de Circo, abrindo oportunidades para jovens de todas as classes e vindos de diferentes regiões do país. Eles aprendem as novas técnicas circenses e, uma vez formados, montam seus próprios grupos ou vão trabalhar no exterior.

São muitos os grupos espalhados pelo Brasil afora. Citamos a Intrépida Trupe, os Acrobáticos Fratelli e a Nau de Ícaros.

PROJETO CIRCO É CULTURA



Circo está associado ao mundo real e imaginário. Por este motivo trabalhar este projeto é proporcionar através de um aprendizado prazeroso, momentos e atividades relacionadas a arte circense, enfocando o convívio, o conhecimento e o respeito com o outro. É uma prática com um alto valor sócio-cultural, traz consigo valores importantes para o ser humano, como a confiança, valores morais e educacionais fundamentais para a vida em comunidade e para o desenvolvimento pessoal e social. Através do brincar podemos oportunizar estes valores.



 Este projeto visa utilizar diferentes linguagens (corporal, musical, plástica e oral), ajustadas as diferentes intenções e situações de comunicação de forma a compreender, expressando assim suas idéias, sentimentos, necessidades e desejos, avançando no seu processo de construção de significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva.Tem como base o brincar de forma lúdica e imaginária, incentivando a criatividade ao promover experiências significativas de aprendizagem. Através do brincar a criança estará desenvolvendo as áreas do conhecimento, além de estimular a curiosidade, a autoconfiança e a autonomia, pois os instrumentos a serem utilizados como suporte a ajudarão, seja no aspecto físico, social, intelectual ou emocional, proporcionando assim o seu desenvolvimento integral.

O que sabemos?

-É onde todos os palhaços fazem palhaçadas


-É onde os palhaços brincam

-É um lugar que tem homens que andam de moto

-É um lugar onde tem pessoas que rebolam e pulam no arco de fogo

-É onde tem palhaços que fazem brincadeiras

-Nunca fui no circo

-É onde os elefantes se equilibram em uma bola e os palhaços fazem palhaçadas e dão gargalhadas

-É onde tem palhaços que dão cambalhotas no ar

-É uma coisa para a gente assistir

-É o palhaço que faz piruetas

O que queremos aprender?

-Quem da comida para os animais?

-Como os palhaços dormem?

-Os palhaços tem o pé grande?

-O circo tem urso?

-O circo mora aqui?

-O circo tem criança?

-O palhaço dorme no circo?

-O circo fecha de dia?

-No circo tem esclas?


OBJETIVO GERAL


Desenvolver nas crianças o gosto pela diversidade considerando os valores atribuídos a elas, mergulhando no mundo da imaginação e fantasia, oportunizando a expressão de sua criatividade e participação através de diferentes atividades, respeitando-as em seus diferentes níveis e levando-as a descobrir que o indivíduo está presente em todas as comunidades, relacionando-se com outros seres e com o ambiente em que vive.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

Conhecer a história do circo, e sua comunidade, valorizando a arte circense.

Empregar atitudes da cooperação e respeito pelo outro, mantendo a harmonia do grupo.

Interessar-se por atividades envolvendo arte, música e poesia, manifestando diferentes percepções.

Ampliar gradativamente as possibilidades de comunicação e expressão, familiarizando a criança através da literatura infantil e outros portadores de texto e da vivência de diversas situações, desenvolvendo a sensibilidade, afetividade e criatividade.

Desenvolver a socialização e a integração em grupos, favorecendo a ampliação da criatividade e da cooperação mútua.

Explorar as possibilidades expressivas do próprio movimento, utilizando gestos diversos e o ritmo corporal nas suas brincadeiras, danças, jogos, dramatizações e demais situações de interação.

Desenvolver a coordenação motora ampla nas atividades recreativas promovendo atitudes de confiança.

Aprimorar a coordenação motora fina executando atividades diversas.

Identificar os personagens do circo e suas funções, compreendendo a cultura circense.

Explorar com sucatas, personagens do circo, estimulando o desenvolvimento da criatividade, da imaginação e da fantasia, possibilitando a criança pensar e agir.

Analisar a existência de diferentes espécies na natureza, conscientizando-se da necessidade de respeito e cuidado com os animais.

Demonstrar equilíbrio e lateralidade deslocando-se no espaço físico da escola ao andar,correr, pular, entre outros

Incentivar a participação em jogos simbólicos, utilizando-se de diversos objetos para vivenciar o lúdico.

Reconhecer e identificar o processo de codificação através de atividades diversas com o alfabeto, bem como a exploração deste.

CONTEÚDOS (ÁREA DO CONHECIMENTO)

•Mímica

•Através da expressão oral das histórias, exploração das diversas espécies de animais.

•Temas transversais: ética, solidariedade, cooperação, respeito pelo proximo.


Movimento:


•Expressão corporal (dramatização, dança)

•Coordenação motora ampla

•Lateralidade

•Equilíbrio


Música:


•Ritmo

•Melodia

•Sons

•Canto

Artes visuais:

•Cor

•Linhas

•Pontos

•Coordenação motora fina


•Textura e exploração de materiais diversos

Linguagem Oral e Escrita:

•Historias: seqüências, personagens, enredo, memória.

•Exploração das histórias através da linguagem oral;

Matemática:

Formas Geométricas

•Classificação, seriação.

PROCEDIMENTOS:

•Manuseio e leitura de livros de histórias infantis

•desenho

•Construção com sucatas

*jogos

•Sessão de filme


•Construção de painéis

•Dramatização

•Brincadeira dirigida


•Atividades de relaxamento

•Confecção de fantoches

•Confecção de massinha de modelar

•Produção de textos coletivos

•Releitura de obra de arte

Avaliação:

O desempenho do aluno será acompanhado no decorrer das atividades. A avaliação se dará através da observação constante da professora e pelo registro dos processos de aprendizagem dos alunos.


[...] a avaliação não somente deve ser feita em relação aos alunos, mas também em relação ao ensino que apresentamos e ao tipo de intervenção e de atividades propostas na aula. [...] O importante é que possamos proceder a uma análise da nossa prática, elemento indispensável para torna-la mais coerente e fundamentada.

Por tanto a avaliação será contínua e progressiva, por meio de diversos instrumentos e da vivência de cada um com os conteúdos abordados.

Referências:

ABREU, Gerson de. Qual é, Bicho? São Paulo: Atual, 1994.

BANDEIRA, Pedro. O Espantalho Inteligente. Contando Ciências Anatomia Humana. Editorial.


BOTELHO, Isabel. A Risada de Biriba. Coleção Dó-Ré-Mi-Fa. São Paulo: Scipione, 2001.

DCL, Difusão Cultural do Livro Ltda. Trombinha e o Circo. Coleção Bichos & Fantasias. São Paulo: Edipar.

FERNANDES, Paulo Dias. As Frutas Magicas. Historias que Vovó contava. Erechim: Edelbra.

NUCCI, Nely A Guernelli. O Atraso. São Paulo: Paulinas, 1990.

PAES, José Paulo. Poesia para crianças. São Paulo: Giordano, 1996.

ROCHA, Ruth. A Arca de Noé. São Paulo: Ática, 1994.

CD – As 100 + da Pré-Escola.


ATIVIDADES PARA O DIA DO CIRCO


1. IMITANDO O PALHAÇO

A. Pintura

Pintar o rosto ou apenas o nariz de vermelho

B. Fazer Nariz de Palhaço Com bolinhas de desodorante cortadas ao meio ou com bolinhas de isopor

C. História Movimentada -A Fuga do Palhaço
Já postei a historinha.

Repetir as frases:

*O palhaço o que é?

É ladrão de mulher
*O palhaço o que foi?
Foi ladrão de boi.
(Chorando, rindo, sério, bravo, triste, gaguejando, soluçando, envergonhado, tossindo, gritando, bem baixinho, e assim por diante.
E. Cambalhotas
Colocar os colchonetes no chão e eles brincam de virar cambalhotas com a ajuda da professora.

2. IMITANDO O EQUILIBRISTA

. Andando sobre a escada,Para quem não tem uma escada pode ser uma tábua ou banquinhos pequenos

1. Andar livremente

2. Andar intercalando os degraus (sobe, desce)

3. Andar equilibrando objetos,Pode ser saquinhos de areia ou bolinhas de meia  Equilibrar nos pés nas mãos, na cabeça, no ombro, etc.

3. IMITANDO O MALABARISTA

Com bolinhas de meias:

_ Jogar a sua bolinha de meia para cima e pegar.

_ Jogar sua bolinha de meia, bater uma palma e pegar

_ Jogar sua bolinha de meia para cima, bater duas palmas e pegar

_ Jogar sua bolinha de meia para cima, dar uma volta no próprio corpo e pegar


4. IMITANDO A BAILARINA

A professora lê o poema e faz junto com as crianças os comandos:

Um passo pra cá...

Um passo pra lá...

Correndo pra frente

E voltando ao lugar,

Palminhas vou bater,

Um pulo eu vou dar,

Uma roda bem bonita

Rodando com os amigos,

Rodando no próprio lugar.

O poema foi retirado do livro: “Brincando na Escola”
Pesquisa feita no blog http://bancodeatividades.blogspot.com/2011/03/projeto-circo_09.htmle adaptada por mim Cida Marques

quinta-feira, 8 de março de 2012

Você conhece a origem do Dia Internacional da Mulher? Sabe por que ele é comemorado no dia 08 de março? Não? Então conheça mais sobre esta data significativa.

CEIM Casulo Santa Terezinha do Menino Jesus
Data: 08 a 09 de março de 2012
Tema: Dia da Mulher
Semestre: 1º
Idade: 03 anos
Professora; Maria Aparecida Rodrigues Marques.

Atividades de rotina

Competências:


*Reconhecer e apreciar a Origem do dia da Mulher;
*Envolver-se e valorizar eventos que envolve o dia da Mulher..

Incentivação:

-Mural
-Música
- História
Habilidades:

* Conhece a historia do dia da Mulher;
* Participa de homenagem ao dia da Mulher;
*Demonstra criatividade;

Desenvolvimento:

Conversa informal sobre o tema abordado.

Atividades:

08/03 – Historia do dia da Mulher e desenho livre;
09/03 – Recorte e colagem dia da Mulher e homenagem a mulher (Mãe).

Projetos desenvolvidos:

* “Semana da Mulher”

                              

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Objetivo da Data



                                             





Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.


Conquistas das Mulheres Brasileiras

Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.



Marcos das Conquistas das Mulheres na História



- 1788 - o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.

- 1840 - Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.

- 1859 - surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.

- 1862 - durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.

- 1865 - na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.

- 1866 - No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas

- 1869 - é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres

- 1870 - Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.

- 1874 - criada no Japão a primeira escola normal para moças

- 1878 - criada na Rússia uma Universidade Feminina

- 1901 - o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres


Trabalhando com cores, preenchimentos, linhas, bordas e imagens.

O que o aluno poderá aprender com esta aula

Os alunos poderão:

• Familiarizar-se com as cores primárias;

• Nomear e identificar as cores primárias;

• Vivenciar situações de fala e escuta;

• Experienciar possibilidades de mistura de cores.

Duração das atividades

Esta aula tem duração de aproximadamente 1 hora.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Para realização desta aula o professor deve conversar previamente com as crianças sobre a diversidade de cores existentes nos objetos.

Estratégias e recursos da aula







Primeiro momento: O professor deverá conversar com as crianças na roda, apresentando as cores primárias (azul, amarelo e vermelho), levantado questionamentos como:

- Que cor é esta?

- Onde podemos encontrar essa cor?

- Na sala, existe algum objeto desta cor?




Segundo momento: Após fazer o levantamento das idéias das crianças, sugerir a exploração dessas cores através de uma atividade com tinta, papel e barbante. As crianças deverão misturar os pingos de tinta colocados no papel com o barbante.

Terceiro momento: Ao final dessa exploração, observar as pinturas e conversar sobre as impressões que as crianças tiveram a respeito da mistura de cores. O professor pode fazer questionamentos como:

- O que aconteceu quando passamos o barbante sobre os pingos de tinta?

- O que aconteceu quando o barbante misturou duas cores diferentes?

Avaliação

O professor deverá observar se ao final da aula o aluno conseguiu:

• Nomear as cores primárias;

• Perceber o que aconteceu com a mistura das cores;

• Verbalizar suas idéias a cerca da experiência vivenciada.

sexta-feira, 2 de março de 2012

DINÂMICA DO ESPELHO



Nesta sexta-feira eu realizei com meus pequenos a seguinte dinâmica:










Eu levei para a sala uma caixa bem bonita enfeitada para presente contendo dentro um espelho e disse que ali dentro havia algo muito importante e especial. As crianças ficaram bem curiosas para saber o que havia na caixa. Cada uma tinha uma opinião sobre o seu conteúdo.
                                                                                      
Então convidei um aluno de cada vez para ver o que tinha na caixa, mas alertei-os para não contar até que todos tenham visto. A medida que eles iam abrindo a caixa e vendo sua imagem refletida no espelho cada criança tinha uma reação diferente, foi muito divertido. Comentamos sobre a sensação de se ver no espelho.

                           

Depois cada um fez o seu auto-retrato.

Plano de Aula, História, Relatório, sequência didática,Educação Infantil, Projetos...

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email