Seguidores

quarta-feira, 28 de março de 2018

Conhecendo Mauricio de Sousa e suas histórias(Um Conto de Páscoa)


 O desenho é narrado pelo próprio Maurício de Sousa que surge no início e no final da história, em sua versão em animação, sentado em uma cadeira, com um livro de contos. É ele quem nos dá o tom da trama, apresentando uma ...





quarta-feira, 21 de março de 2018

"Conhecendo a História de Maurício de Sousa e sua Turma "



 1º Momento -20 de março de  2018
Iniciei a aula em uma roda de conversa apresentando o  Autor Mauricio de Sousa.
                                                       
Era uma vez um cartunista e empresário brasileiro chamado Mauricio de Sousa. Em (1935)  Criou a "Turma da Mônica", e vários outros personagens de história em quadrinhos. É membro da Academia Paulista de Letras, ocupando a cadeira nº 24. É o mais famoso e premiado autor brasileiro de história em quadrinhos.
Mauricio de Sousa (1935) nasceu em Santa Isabel, São Paulo, no dia 27 de outubro de 1935. Filho do poeta Antônio Mauricio de Souza e da poetisa Petronilha Araújo de Souza passou parte de sua infância em Mogi das Cruzes, desenhando e rabiscando nos cadernos escolares. Mais tarde, passou a ilustrar pôsteres e cartazes para os comerciantes da região. Aos 19 anos mudou-se para São Paulo, onde trabalhou durante cinco anos no jornal Folha da Manhã, escrevendo reportagens policiais e fazendo ilustrações.
Em 1959, quando ainda trabalhava como repórter policial, criou seu primeiro personagem - o cãozinho "Bidu". A partir de uma série de tiras em quadrinhos com "Bidu e Franjinha", publicadas semanalmente na Folha da Manhã, Mauricio de Sousa iniciou sua carreira. Nos anos seguintes criou diversos personagens - "Cebolinha", "Piteco", "Chico Bento", "Penadinho", "Horácio", "Raposão", "Astronauta" etc. Em 1970, lançou a revista da "Mônica", com tiragem de 200 mil exemplares, pela Editora Abril.
Em 1986, Mauricio saiu da Editora Abril e levou seus personagens para a Editora Globo. Em 1998, recebeu do então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, a medalha dos Direitos Humanos. Em 2006 saiu da Editora Globo e ingressou na Editora Panini, uma multinacional italiana.
Em 2007, Mônica foi homenageada "Embaixadora do UNICEF". Pela primeira vez um personagem de histórias infantis recebe esse título. Na mesma cerimônia, Mauricio de Sousa foi homenageado "Escritor para Crianças do UNICEF". Em 2008 o Ministério do Turismo nomeou Mônica "Embaixadora do Turismo Brasileiro".
A publicação da "Turma da Mônica Jovem", uma linha de personagens com 15 anos de idade, vendeu em 2008, mais de um milhão e meio de exemplares, dos quatro primeiros números da revista. Nas comemorações do centenário da Imigração Japonesa para o Brasil, Maurício criou os personagens "Tikara" e "Keika", que foram incorporados às histórias da Turma da Mônica.
Hoje, entre quadrinhos e tiras de jornais, suas criações chegam a cerca de 50 países. O autor já chegou a 1 bilhão de revistas publicadas. Os quadrinhos se juntam a livros ilustrados, revistas de atividades, álbum de figurinhas, CDs, livros tridimensionais e livros em braile.
Mais de 100 indústrias nacionais e internacionais são licenciadas para produzir quase 2.500 itens com os personagens de Mauricio de Sousa, entre jogos, brinquedos, roupas, calçados, decoração, papelaria, material escolar, alimentação, vídeos e DVDs, revistas e livros. Em 2013, a "Turma da Mônica" comemorou seus 50 anos.
Prêmios - Títulos - Homenagens
Prêmio Gran Guinigi, pela revista Mônica (Itália, 1971)
Troféu Yellow Kid, o Oscar dos Quadrinhos Mundiais (Itália, 1971)
Prêmio de Literatura Infantil da ABL (Brasil, 1999)
Doutor Honoris Causa da Universidade La Roche (Pittsburgh, 2001)
Medalha do Vaticano (Washington, DC, 2004)
Homenagem da Escola de Samba Unidos do Peruche (São Paulo, 2007)
Medalha de Vermeil (França, 2008)
Prêmio Pulcinella, pelo conjunto da obra (Itália, 2011)
Personagens de Mauricio de Sousa
Turma do Bidu
Turma da Mônica
Turma do Chico Bento
Turma da Tina
Turma do Penadinho
Turma do Peteleco
Horácio
Astronauta
Turma da Mata
Papa Capim
Nico Demo
Turma do Pelezinho
Turma do Dieguito
Ronaldinho Gaucho
Turma da Mônica Jovem
Turma do Cebola Jovem

Encerrei com a música " Economizar Água"Turma da Monica

 2º Momento -21 de março de  2018
Iniciei a aula fazendo um levantamento do conhecimento inicial das crianças  sobre Mauricio de Sousa.
a)  Observem essa foto e digam se vocês reconhecem quem está na imagem?
b) Quem é esse (o professor aponta para a foto de Maurício de Souza), se as crianças não o  Reconhece,  o professor fala o nome e faz nova pergunta.
c) Quem é Mauricio de Sousa? o que ele faz na vida?
d) Por que esses desenhos estão em volta da fotografia de Maurício de Souza?
e)Mauricio de Souza vem criando muitas histórias. Que tipo de histórias são essas?
f) Quem já leu as revistas de Mauricio de Souza?
E logo após falei sobres suas obras, como esta semana estamos trabalhando O tema "Água", aproveitei para trabalhar com este texto. A água nossa de cada dia) e o Informativo com dicas de como devemos fazer para economizar água.

                                       

A Água Nossa de Cada Dia-  Mauricio de Sousa

Hoje de manhã, enquanto levava meu filho para a escola, assisti a diversas cenas de desperdício.
Rua após rua, homens e mulheres usavam mangueiras para lavar calçadas e carros com jorros e jorros de água potável.
Nos primeiros casos cheguei a diminuir a velocidade do meu carro para sinalizar aos dissipadores que não deveriam estar fazendo aquilo. Mas eles olhavam, sem entender o que eu queria passar com os gestos… e continuavam com as torneiras abertas.
Nos casos seguintes, desisti.
Só olhava, desolado, toda aquela água preciosa escorrendo pela calçada, pelas sarjetas…
Se voltar a percorrer o bairro nesta bela manhã de abril provavelmente vou surpreender mais dissipadores em ação.
Talvez já lavando carros, mais pátios e calçadas.
E vou, de novo, ficar triste com o desperdício escancarado, explícito, irresponsável.
O que fazer para que nós, nossos filhos e os filhos de nossos filhos tenham água de boa qualidade e em quantidade no futuro?
Acho que, para começar, falar com as crianças.
Se os adultos dão lições de desperdício, as crianças podem, no tempo, reverter o processo.
Enquanto crianças, podem entender melhor a necessidade de preservamos nossos recursos naturais. Água, inclusive.
Quando crescerem, vão substituir os adultos insensatos de hoje já com atitudes corretas no cuidado com o meio ambiente.
Longe de mim a idéia de transformar quem quer que seja em vigilante, patrulheiro, inspetor de recursos naturais.
Também seria insensato. Em alguns casos até perigoso.
Tem gente que não aceita críticas.
Mas se cada um de nós pudesse passar aos filhos, às crianças, em geral, propostas, idéias e conselhos para buscarem a economia, a racionalização do uso da água, teríamos um início de caminho já sinalizado.
E enquanto crianças e jovens vão se conscientizando, vamos pensando, num modo de chegarmos até os dissipadores adultos com orientação e informações.
Pra começar, à volta da escola, já vou falando sobre o assunto com meu filho.
De novo, porque lá em casa o assunto já é velho e conhecido.
Mas bons conselhos podem ser repetidos… e acumulados.
E cuidados com nossos recursos naturais deveriam merecer até mesmo algum tipo de saudação. Assim, como dizemos bom dia, boa noite, até logo, poderíamos começar a dizer: salvou água, hoje? apagou a luz que não está usando? salvou uma árvore? pensou nas crianças que não tem água para beber?…
Pode parecer meio dramático. Mas antes um dramático falado do que sentido.
Enquanto é tempo.
Texto retirado do  http://turmadamonica.uol.com.br  e foi adaptado de acordo com a idade das crianças.


Após fazer a leitura do texto para meus alunos de 5 anos, com algumas adaptações é claro.
Disse para eles que o autor desse texto chegou em casa conversou com o seu filho  e juntos elaboraram um informativo com dicas de como economizar água.
 Após uma reflexão sobre como devemos fazer para conscientizar nossa família e amigos sobre o desperdício da mesma. Atividade de recorte e colagem com os alunos sobre o uso consciente da ÁGUA.

domingo, 11 de março de 2018

Dobraduras de Coelho da Páscoa











Dobraduras de Coelho da Páscoa


                       
Dobraduras de Coelho da Páscoa


Dobraduras de Coelho da Páscoa

Dobraduras de Coelho da Páscoa

Dobraduras de Coelho da Páscoa

Dobraduras de Coelho da Páscoa

Dobraduras de Coelho da Páscoa

Dobraduras de Coelho da Páscoa

Sugestão retirada da Internet

sábado, 10 de março de 2018

Modelos de lembranças para Páscoa e o Significado !

                               

 Qual é o significado da Páscoa?
 Qual é o significado da Páscoa?

A Páscoa é a celebração da morte e ressurreição de Jesus, o acontecimento mais importante para todos os cristãos. É celebrada todos os anos num domingo, entre 22 de Março e 2.
O significado da Páscoa
Páscoa vem da palavra hebraica pesah e significa passagem. Para os cristãos é a passagem de Jesus da morte para a vida, trazendo salvação para todos que crêem nele (João 5:24). Quando morreu e ressuscitou, Jesus pagou o preço do pecado e nos deu uma nova oportunidade para ter um relacionamento pessoal com Deus (Romanos 8:1-2). Esse foi o grande objetivo dele ao vir à terra.
A Páscoa tem sido celebrada pelos seguidores de Jesus desde muito cedo na sua História. Hoje, pessoas de todo o mundo se juntam para comemorar essa grande vitória, que mudou suas vidas.
A Páscoa judaica
Os judeus também têm uma festa chamada Páscoa, que é bem mais antiga. Como podemos ler em Êxodo 12, quando Deus tirou o povo hebreu do Egito, enviou primeiro um anjo para matar o filho mais velho de todas as famílias egípcias. Para evitar a praga, Deus mandou os judeus matar um cordeiro por família, em lugar do filho mais velho, e pôr o sangue à volta da porta de casa. Assim, o anjo passou mas não matou os filhos dos hebreus. Nessa noite saíram do Egito. Então, na festa judaica da Páscoa, a “passagem” significa a passagem do anjo da morte.
Depois que saíram do Egito, os judeus passaram a celebrar esse dia de libertação todos os anos, comendo cordeiro e pães sem fermento (Números 9:2-3). Foi na altura da Páscoa judaica que Jesus foi crucificado. Para o crente, Jesus é o nosso cordeiro que morreu em nosso lugar para que possamos ter vida eterna com Deus (João 3:16).
Símbolos da Páscoa
Alguns símbolos bíblicos da Páscoa são a ceia (o pão e o vinho), que Jesus instituiu na Quinta-Feira Santa, antes de ser crucificado, e a cruz, que representa a sua morte. O peixe também está associado ao tempo da Quaresma, que precede a Páscoa, e era um símbolo usado entre os crentes da igreja primitiva para se identificarem.
A Páscoa acontece na primavera, altura em que muitas religiões pagãs tinham festas para celebrar o fim do inverno, a vida e a fertilidade. O ovo e o coelho da Páscoa vêm dessas tradições pagãs. O ovo simboliza a nova vida e o coelho a fertilidade. É importante lembrar que esses símbolos não devem ser o foco da Páscoa, devem fazer-nos lembrar a ressurreição de Jesus, que nos deu uma nova vida e uma nova esperança.
wwww

Fonte: https://www.respostas.com.br/o-que-e-a-pascoa-4

Sugestões de lembranças para Páscoa!


Sugestões de lembranças para Páscoa!

https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br/2018/03/o-que-e-pascoa.html
Sugestões de lembranças para Páscoa!


https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br/2018/03/o-que-e-pascoa.html
Sugestões de lembranças para Páscoa!

https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br/2018/03/o-que-e-pascoa.html
Sugestões de lembranças para Páscoa!

Sugestões de lembranças para Páscoa!

Sugestões de lembranças para Páscoa!


Sugestões de lembranças para Páscoa!

https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br/2018/03/o-que-e-pascoa.html

Sugestões de lembranças para Páscoa!


Sugestões de lembranças para Páscoa!
Ensinando Com Amor e Não Por Amor!

https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br/2018/03/o-que-e-pascoa.html
Sugestões de lembranças para Páscoa!
Ensinando Com Amor e Não Por Amor
Retirados da Internet

É POSSÍVEL ENSINAR SÓ POR AMOR?
https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br/

sexta-feira, 9 de março de 2018

Como trabalhar com Literatura Infantil na Sala de Aula?


Como trabalhar com Literatura Infantil na Sala de Aula?
https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br/alt='https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br"
Ao trabalhar literatura infantil, além de desenvolver uma grande aproximação dos alunos com o texto escrito, o professor trabalha o ato criativo, a dúvida e com questões mundanas, atuando na zona de desenvolvimento proximal, possibilitando uma familiaridade com o código linguístico.
Como organizar a sala de aula para trabalhar literatura infantil?
Segundo Vygotsky, o melhor dos estímulos para a criação artística infantil consiste em organizar a vida e o meio ambiente de maneira tal, que crie a necessidade e a possibilidade da criação infantil.
Deste modo é preciso que tenhamos uma atenção no que diz respeito à organização do espaço escolar, levando em consideração que a ordem do espaço em uma sala de aula não é um mero procedimento, pois esta, está ligada ao processo de criação artística da criança.
Ao levar literatura infantil para a sala de aula, despertaremos nos alunos a criação, a imaginação. Com isso, ao decorarmos uma sala para determinado evento escolar as crianças podem ajudar o professor na decoração da mesma.
Assim, esta decoração ou qualquer decoração no ambiente escolar, terá significado na vida da criança, não estando lá, apenas porque o professor desejou daquela maneira, mas porque, ao recortar um sol, uma árvore, a criança usou sua imaginação, despertando assim, personagens que estavam dentro delas, conhecidos pela literatura.
Fonte:https://www.recantodasletras.com.br
"https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br"

Literatura infantil lúdica: uma importante ferramenta para a formação de leitores


https://anjinhosdatiacidamarques.blogspot.com.br/
A literatura infantil é objeto de muitas pesquisas nas últimas décadas. Alguns estudiosos tecem reflexões sobre a importância de estimular a leitura e a escrita e apontam alternativas para orientar os professores a realizar um trabalho mais sistemático e aprofundado com obras literárias voltadas às crianças. Outros discutem o papel da literatura infantil na formação de leitores. Neste texto, apresentamos algumas orientações metodológicas para garantir essa dupla função, pois queremos que a leitura na escola seja marcada por momentos lúdicos e prazerosos no contato das crianças com os textos literários, tendo como conseqüência o estímulo à alfabetização e ao letramento já nos anos iniciais do Ensino Fundamental.
A literatura infantil sempre esteve e está presente em nossas vidas muito antes da leitura e da escrita, seja por meio das cantigas de ninar, das brincadeiras de roda ou das contações de histórias realizadas pelos familiares. Porém quando as crianças chegam à escola é que a literatura passa a ter o poder de construir uma ligação lúdicas entre o mundo da imaginação, dos símbolos subjetivos, e o mundo da escrita, dos signos convencionais impostos pela cultura sistematizada.
Sabemos que a partir do momento em que a criança tem acesso ao mundo da leitura, ela passa a buscar novos textos literários, faz novas descobertas e consequentemente amplia a compreensão de si e do mundo que a cerca. Nesse cenário, professores e coordenadores pedagógicos devem atuar em sintonia, assegurando que o trabalho com a literatura infantil aconteça de forma dinâmica, por meio de práticas docentes geradoras de estímulos e capazes de influenciar de maneira significativa o desenvolvimento de habilidades orais, leitoras e escritoras. A contação diária de histórias é bastante significativa, porque proporciona um momento mágico de valor educativo sem igual na correlação destes três eixos: leitura, escrita e oralidade.
As atividades de leitura devem ocorrer desde os primeiros dias de aula, mesmo com crianças que ainda não conhecem nenhuma letra, pois, por meio da visão e da audição, elas realizam a leitura de ilustrações e acompanham a leitura do texto feita pelo professor. Nessa fase inicial, em contato com os livros, elas aprendem a manuseá-los, a reconhecer suas formas, a perceber a diagramação e iniciam suas experiências com os modos de composição textual.
Uma boa obra literária é aquela que apresenta a realidade de forma nova e criativa, deixando espaço para o leitor descobrir o que está nas entrelinhas do texto. A interação da criança com a literatura possibilita uma formação rica em aspectos lúdicos, imaginativos e simbólicos. O desenvolvimento dessa interação, com procedimentos pedagógicos adequados, leva a criança a compreender melhor o texto e seu contexto.
Com o intuito de formar leitores, a literatura especializada aconselha os professores e a escola a utilizar alguns procedimentos pedagógicos como: convívio contínuo com histórias, livros e leitores; valorização do momento da leitura; disponibilidade de um acervo variado; tempo para ler, sem interrupções; espaço físico agradável e estimulante; ambiente de segurança psicológica e de tolerância dos educadores em relação às singularidades e às dificuldades de aprendizagem de cada criança; oportunidades para que expressem, registrem e compartilhem interpretações e emoções vividas nas experiências de leitura; acesso à orientação qualificada sobre por que ler, o que ler, como ler e quando ler. Nessa perspectiva, é importante ressaltar a relevância do contato permanente das crianças com os livros, para que elas possam conviver com suas histórias desde cedo.
O trabalho com a literatura infantil deve ter como um dos pontos norteadores a preocupação em formar leitores autônomos e críticos. Isso exige dos professores um olhar atento e tenaz para as metodologias que devem ser empregadas, bem como para o material a ser utilizado (livros só com textos; livros com textos e imagens; livros só com imagens; livros com recursos audiovisuais, entre outros). É importante ressaltar que esses materiais, quando bem trabalhados, atraem bastante as crianças. Além disso, podem ser explorados em atividades de ordenação das narrativas e de (re) criação de histórias orais ou escritas.
Independentemente do tipo de livro que utilizem em sala de aula, orientamos que os professores destinem pelo menos 25 minutos diários das aulas para proporcionar a seus alunos um momento de leitura, que pode ser realizado de forma coletiva ou individual, sistematicamente, não deixando para trabalhar apenas no dia destinado a atividades de Língua Portuguesa.
Outra estratégia importante é incluir brinquedos e brincadeiras como parte da formação de alunos leitores. Ao misturar livros e brinquedos, livros e brincadeiras, a escola realiza um trabalho de sedução das crianças para a leitura, pois, à medida que o livro entra em sua vida, desde muito cedo e de forma prazerosa, desperta seu imaginário e, conseqüentemente, o desejo de ler. Partindo desse princípio, acreditamos que as atividades lúdicas envolvendo a leitura, realizadas diariamente pelos professores, bem como a disponibilização de livros de literatura infantil e brinquedos fazem com que os primeiros contatos com a leitura sejam agradáveis e divertidos. Dessa forma, quanto mais lúdico for o trabalho com a literatura infantil, melhor será seu impacto na formação de leitores e na aprendizagem da leitura e da escrita.
Ler histórias para as crianças é incitar o imaginário, provocar perguntas e buscar respostas, é despertar grandes e pequenas emoções como rir, chorar, sentir medo e raiva, emoções estas que vêm das histórias ouvidas e lidas. Juntos, livros, brinquedos e brincadeiras fortalecem ainda mais a construção de novos conhecimentos, favorecendo o desenvolvimento motor, social, emocional e cognitivo das crianças. 
* Mestranda em Educação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI) e consultora do Programa Palavra de Criança em 25 municípios piauienses. 

Leia também a entrevista sobre o Programa Palavra de Criança, concedida pela autora à Plataforma do 
http://www.plataformadoletramento.org.br

Como trabalhar a literatura infantil com quem ainda não foi alfabetizado



 “Nesse contexto, é importante disponibilizar livros que sejam fartamente ilustrados”, diz a coordenadora pedagógica do Colégio AB Sabin, Suzy Vieira. “No Maternal I, nem precisam ter palavras”. Isso é básico, explica Suzy, não apenas porque as ilustrações despertam o interesse e instigam a fantasia, mas por ajudarem a desenvolver a oralidade e a promover acervos de memória para a futura leitura.
Pela mesma razão, a Educação Infantil privilegia os chamados contos de repetição. Trata-se de histórias em que um evento se repete algumas vezes com pequenas variações ou acréscimos de um ou outro detalhe. Um bom exemplo é O Caso do Bolinho, de Tatiana Belinky, no qual um bolinho fujão encontra alguns personagens em seu caminho e, para evitar ser comido, repete o mesmo bordão e a mesma canção para distrair seus algozes. Uma história montada sobre essa estrutura é mais fácil de ser memorizada, dando à criança certo controle em suas incursões ao mundo da fantasia.
Assim como bordões e músicas, algumas palavras simples, por aparecerem diversas vezes nos livros e no próprio cotidiano infantil, também têm potencial mnemônico. “Nessa fase, são muito importantes as chamadas ‘palavras estáveis’”, diz Suzy. Como exemplo, ela cita o trabalho que a turma do Pré I faz com o livro Macaco Danado, de Julia Donaldson.
Ainda que os alunos não saibam ler, o contato frequente com palavras como MACACO ou SAPO – e durante uma contação a professora pode apontar as palavras no livro, escrevê-las na lousa, destacá-las em cartelas – os faz associar os sons de “macaco” e “sapo” àquelas combinações específicas de letras. O mesmo efeito se dá com as palavras da rotina da classe, escritas diariamente na lousa (RODA, LANCHE, PÁTIO, etc.), ou até com os nomes dos alunos, também registrados em toda sala de aula da Educação Infantil. “Aí acontece, por exemplo, de um aluno chamado Rodrigo reconhecer a sílaba RO da palavra RODA e ter um insight: ‘Olha, professora, é parecido com o meu nome’”, diz a coordenadora.
Mas é claro que há algo mais fundamental do que a memória na aproximação com os livros: o prazer da leitura em si. Que começa com o contato direto com o objeto livro. Além da biblioteca geral do Colégio, com um acervo em torno de 500 títulos, cada sala de aula do AB Sabin (assim como na Educação Infantil do Sabin) conta com uma minibiblioteca própria, com pelo menos 24 títulos diferentes (um por aluno). E essa estrutura, diz a diretora do AB Sabin, Mônica Mazzo, é intensamente usada pelos alunos.
“Fazemos visitas à Biblioteca, em que eles escolhem os livros que quiserem, manuseiam, folheiam, mostram para os colegas. São momentos de livre exploração”, diz Mônica. Isso é importante, segundo a diretora, para estimular o gosto e o respeito pelos livros. “Também ensinamos que eles têm de cuidar do livro, não rasgar, não sujar, para que outros possam aproveitar a leitura como eles estão aproveitando”.
Orientações semelhantes são passadas também nas sacolinhas que os alunos utilizam para levar para casa os livros que tomam emprestados da Biblioteca do Colégio. O hábito do empréstimo não só é estimulado como pode ser pedido como espécie de tarefa escolar. “Uma coisa que fazemos é dizer que, na semana seguinte, alguns alunos vão contar a história do livro que levaram para casa”, diz a diretora.
É quando o Colégio conta com a ajuda dos pais para lerem com seus filhos, inclusive aproveitando para dar dicas que podem tornar essa atividade mais estimulante e frutífera. Felizmente, garante a diretora, os pais e mães do AB Sabin aceitam a tarefa com prazer. “Apesar de nem ser objetivo da Educação Infantil, boa parte de nossos alunos conclui o ciclo iniciando o processo de leitura e escrita, porque nossas famílias têm o hábito da leitura. Isso ajuda muito”.
Para seu filho gostar de ler
1. Passe o dedo pelo texto, acompanhando a leitura. Isso ajuda seu filho a fixar o som de algumas palavras ou sílabas.
2. Aproveite os dias com o livro para ler mais de uma vez. A repetição é estimulante para a criança e ajuda na memorização.
3. Faça do momento da leitura algo prazeroso, uma atividade alegre com seu filho: “Vamos ler depois do jantar?”.
4. Se a leitura for extensa, ler em partes pode aguçar a curiosidade: “Será que o macaco danado vai encontrar a mãe? Vamos descobrir amanhã?”.
5. Parabenize seu filho quando ele reconhecer palavras ou frases. O orgulho pode estimulá-lo a ler mais.

Fonte:http://educacao.estadao.com.br/blogs/albert-sabin

domingo, 4 de março de 2018

Sugestões de atividades para o dia da MULHER-08 de Março de 2018


                                                     

Dia Internacional da Mulher - 8 de Março

O Dia Internacional da Mulher ou Dia da Mulher é comemorado anualmente em 8 de março, e não é considerado um feriado nacional.
O Dia da Mulher é a celebração das conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos, sendo adotado pela Organização das Nações Unidas e, conseqüentemente, por diversos países.
O Dia da Mulher é muitas vezes marcado por presentes simbólicos, como flores, em especial rosas, poemas ou frases, por exemplo.
História e Origem do Dia Internacional da Mulher
A luta das mulheres por melhores condições de vida e trabalho começou a partir do final do século XIX, principalmente na Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de 15 horas diárias e a discriminação de gênero eram alguns dos pontos que eram debatidos pelas manifestantes da época.
De acordo com registros históricos, o primeiro Dia da Mulher foi celebrado nos Estados Unidos em maio de 1908 (Dia Nacional da Mulher), onde mais de 1.500 mulheres se uniram em prol da igualdade política e econômica no país.
No entanto, o 8 de março teve origem com as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho, durante a Primeira Guerra Mundial (1917). A manifestação que contou com mais de 90 mil russas ficou conhecida como "Pão e Paz", sendo este o marco oficial para a escolha do Dia Internacional da Mulher no 8 de março, porém somente em 1921 que esta data foi oficializada.
Após a Guerra e a Segunda Revolução Industrial, as indústrias incorporaram as mulheres para mão-de-obra, e devido às condições insalubres de trabalho, os protestos eram freqüentes.
Por muito tempo, a data foi esquecida e acabou sendo recuperada somente com o movimento feminista nos anos 60. A Organização das Nações Unidas, por exemplo, somente reconheceu o Dia Internacional da Mulher em 1977. Atualmente, além do caráter festivo e comemorativo, o Dia Internacional da Mulher ainda continua servindo como conscientização para evitar as desigualdades de gênero em todas as sociedades.



Homenagem para o Dia da Mulher
                                                           Dos filhos...

Parabéns Querida...
Pela mulher maravilhosa que existe dentro de você.
Só tenho motivos para agradecer toda felicidade
que tens me proporcionado, quanta compreensão.
Seu coração é um grande abrigo...
quanto carinho e dedicação se aloja neste âmago grandioso e admirável.
Mulher nota dez, somente você me faz sentir tão completo,
diante de tanta coragem, força e otimismo.
Faz de seus braços meu conforto, meu porto seguro,
minha certeza de ter encontrado o espelho que reflita a imagem da felicidade,
o sorriso verdadeiramente realizado.
Ou por que não?
Meus cabelos brancos que retratarão os melhores anos de minha vida.
Sou muito feliz com você, obrigado meu amor...
Parabéns pelo dia que ampara
e valoriza minhas humildes, mas verdadeiras palavras.
Amo você por tudo que você é...

Homenagem para o Dia da Mulher
                                                       Dos filhos...
Neste Dia Internacional da Mulher, eu preciso te fazer uma pergunta que me persegue há muito tempo: Como é que você consegue estar sempre de bom-humor, sempre em paz consigo mesma e com o mundo à sua volta? Como você consegue ser gentil 24 horas por dia? Como consegue se apresentar elegante em qualquer circunstância, revelando esta sua saudável e discreta vaidade? Sabe, hoje senti a necessidade de dizer o quanto admiro você. O quanto fico feliz em ter uma mãe tão especial e tão preocupada com a felicidade de todos os que a cercam, tão empenhada em proporcionar um ambiente de harmonia e beleza; enfim, um ambiente de felicidade plena. Sei que, em nome desta paz, muitas vezes você abre mão dos seus próprios interesses e, se isto me deixa orgulhoso por perceber que tenho uma mãe tão dedicada, por outro lado fico um pouquinho triste em saber que você pode estar sacrificando o seu próprio acesso a flores, perfumes e outras coisas que eu sei que você gosta tanto! Querida mamãe, neste dia especial, receba um beijo muito carinhoso e esta declaração de amor da sua filha (do seu filho).


















Sugestões retiradas da internet.

Plano de Aula, História, Resenha, Relatório, sequência didática, #EducaçãoInfantil, Projetos,Releitura,Música,Brincadeiras Dirigidas, Teatro...

Follow by Email