Seguidores

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Projeto: Quem sou eu?





Alunos Atendidos: Maternal III

Professora: Maria Aparecida Rodrigues Marques

Duração: Em média uma semana.

Objetivos:

Ao final do projeto os alunos deverão ser capazes de:

• Saber a história de sua vida;

• Conhecer a história e o significado de seu nome;

• Estimular o raciocínio e a percepção visual;

• Desenvolver a imaginação e a criatividade;

• Identificar suas preferências em relação a tudo que o cerca, a sua realidade;

• Formar próprios conceitos através de descobertas e experimentações.



Culminância:

Construção de um Mural coletivo e de um Álbum da vida -Individual.



“ Se uma criança vive com aceitação e amizade; aprende a

encontrar o amor no mundo.”

( Eny e Esther Sarli )



Primeira Semana de Projeto:



• Em “rodinha” iniciar de maneira descontraída e atrativa uma dinâmica – O

Professor apresenta uma caixa, com tampa, decorada da maneira que achar

mais atraente a seus alunos e dentro de suas possibilidades – Podendo ser

caixa de sapatos, de madeira, de vime, de qualquer outro artigo que tenha

consumido, ou até mesmo um pequeno baú.

• O professor apresenta a caixa dizendo que dentro dela tem o que existe de

mais precioso, de mais importante, um verdadeiro tesouro.

• Propõe, então, uma brincadeira onde cada um terá que olhar o que tem dentro

da caixa, ver qual é este tesouro e manter segredo – Um a um devem olhar e

voltar ao lugar sem poder contar o que viu – Esta é a regra da brincadeira:

Manter segredo.

• Dentro da caixa deve conter um espelho, bem no fundo, do tamanho exato da

mesma. No momento em que a criança for olhar o tesouro verá refletida sua

própria imagem.

• A professora deve ficar atenta a cada reação individual ao deparar-se com a

própria imagem. É fundamental criar um clima de muito interesse provocando

sempre: Qual será este tesouro?

• Após todos terem visto sua imagem refletida dentro da caixa e terem tido as

mais diferentes reações, cuidando sempre para que não falem enquanto todos

não olharem, abrir então o debate, a conversa informal.

• O que vocês viram dentro da caixa? Descobriram o tesouro?

• Aproveitar cada resposta dos alunos, orientando-os quando necessário, mas

propiciando que se expressem.

• A conversa deve fluir até o ponto em que o professor perceber que os alunos

perceberam que eles são o tesouro – cada um deles – por isso não poderiam

contar o segredo – pois todos somos únicos – Ninguém é igual a ninguém.

Após a realização da Dinâmica do Tesouro, ainda em círculo, sentados de forma

confortável, provocar os alunos para que observem seus próprios corpos e façam

comparações: __ Quem é mais alto? Quem é mais baixo? Quem tem a mesma

altura? __Quem tem cabelos loiros? Quem tem cabelos castanhos? Quem tem

cabelos pretos? __ Quem é negro? Quem é moreno? Quem é branquinho?

__ Quem tem olhos azuis? E castanhos? __ Quem é menino? Quem é menina?

E assim propor que se agrupem de diferentes formas:

Exemplo:

__Vamos juntar todas as crianças que tem cabelo bem curtinho do lado esquerdo

em pé e todas as crianças que tem cabelos compridos do lado direito sentadas.

__Vamos juntar os meninos de um lado e as meninas do outro.

__ Agora vão pular só as crianças que tem olhos azuis ou verdes.

Assim, o professor pode ir brincando, criando diferentes situações de acordo com

a sua turma, sempre tendo como objetivo que façam comparações a partir das

diferenças e semelhanças existentes no próprio corpo e no corpo dos amigos.

Concluir a atividade quando não houver mais interesse da turma.

Num segundo momento, que pode ser no mesmo dia ou não, o professor vai

apresentar uma ficha, previamente preparada, xeroca ou mimeografada onde as

crianças terão que completar fazendo seu auto-retrato. As informações contidas

na ficha podem ser anotadas por escrito pela professora caso a turma ainda não

seja alfabetizada, todavia, é fundamental que sejam todas discutidas

individualmente e em grupo.



Segue exemplo de face para auto – retrato e de ficha que pode ser adaptada

caso o professor ache necessário.



Quem sou eu?



Meu nome é: ________________________________________

Tenho ____ anos. Nasci no dia ___/___/___.

Meu endereço é:

__________________________________________________

__________________________________________________

Meu telefone é: ______________.

O nome da minha mãe é:________________________________

O nome do meu pai é: __________________________________

Na minha família também tem: _____________________ que eu

gosto muito e cuida de mim.

Minha altura:__________.

Meu peso: ____________.

Cor dos olhos: _________________.

Cor dos cabelos:________________.

Meu auto-retrato:

6

Desenho no bolo o número de velinhas correspondentes à sua idade:

A seguir mais algumas sugestões de

atividades sistematizadas, afim de

serem xerocas ou mimeografadas pelo

professor com intuito de ir juntando

material para o Álbum da Vida do

aluno:

Pinte as figuras com a cor correta:

Meus olhos: Meus cabelos:

Quantas letras tem o seu nome? Conte e cole uma bolinha de papel

crepom da sua cor preferida para cada letra :



Importante:



Chegando nesta etapa o professor deverá iniciar um trabalho criando uma

identidade entre a criança e a escrita de seu nome. Seguem algumas sugestões

de atividades práticas que podem ser realizadas durante este projeto ou até

mesmo no decorrer de todo o ano letivo. Sugerimos que para o projeto em si:

Quem sou eu? Sejam escolhidas no máximo 3 das atividades propostas: História

do nome, Dança da Cadeira e mais uma a escolha do professor de acordo com o

nível da turma. Mas, ficam as sugestões para trabalhos posteriores.

A construção da escrita do nome, na Educação Infantil, é vista como um

grande caminho a ser percorrido pela criança.

O nome próprio de uma criança é seu marco de identificação e, por isso, é

tão valorizado por ela. É por esse motivo que o trabalho com o nome próprio gera

uma relação de identidade da criança com a escrita.

É fundamental, para a construção da escrita do nome que a criança saiba

que desenhar é diferente de escrever a partir desta diferenciação que a criança

começa a se dar conta de que precisa algo mais do que um desenho para poder

escrever o seu nome, e então começam a aparecer em seus trabalhos as

tentativas da escrita, a qual pode estar representada por “risquinhos”, “bolinhas”,

“cobrinhas”...

A primeira letra do nome próprio é sempre a mais reconhecida e escrita

pelas crianças antes das demais. Muitas chegam a estabelecer uma relação de

identidade que, em geral, as faz chamá-la de minha letra. É sempre aquela que

reconhecem mais depressa em diferentes textos, cartazes, otdoors e outros.

A visualização é um mecanismo que faz parte da construção da escrita. Por este

motivo é importante que os nomes estejam fixados nos gradis, nos materiais, nas

lancheiras, nos crachás.

Ao identificar seu nome e observá-lo escrito em diferentes locais e

materiais, a criança, consequentemente, o memoriza. A partir de então inicia-se

seu relacionamento com a escrita como representação de sua identidade,

auxiliando-a a ver-se como um indivíduo que possui identificação. Por isso seu

nome é tão importante. É um marco identificatório.

O modelo da escrita do nome em diferentes materiais informa à criança

sobre quais são as letras e qual a quantidade necessária de letras para escrevêlo,

além de informar a posição e a ordem em que aparecem no seu nome.

É importante, nesse trabalho, a busca de semelhanças e diferenças, as

posições das letras, os diferentes modos de escrita.

É interessante desafiar a criança nesta questão. Por exemplo: “Pus a

primeira letra do nome de Camila. Onde ponho a segunda? Aqui ou aqui”?

( indicando à direita ou à esquerda da letra C ). Este tipo de desafio auxilia a

criança na direcionalidade da escrita, deixando um pouco de lado as letras

espelhadas tão comuns nas séries iniciais.

O sujeito é um construtor dos seus conhecimentos e nesse processo passa

por etapas importantes que vão da visualização até o reconhecimento da escrita

em diferentes lugares e formas.

O objetivo maior do trabalho com a escrita do nome na Educação Infantil é

fazer com que a criança se reconheça como um sujeito importante que possui um

nome que é só seu, além de propiciar a aprendizagem da escrita.



A seguir apresentarei algumas atividades e brincadeiras que auxiliam o processo

de construção da escrita do nome:



Sugestões de Atividades Práticas Idade de 03 a 04 anos)



1 – História do nome.



Objetivo: Conhecer a origem do seu nome.

Material: Folhas de papel ofício.

Procedimento:



Entrevistar os pais:



- Quem escolheu seu nome? - Por que me chamo.....? O que significa ..... ?

• Combinar com a turma o dia do relato e como ele será. ( A escolha do

professor)



Sugestão de Atividade: Contar a história do seu nome aprendida com a entrevista

e ilustrá-la.

Interessante: Em papel pardo o professor poderá registrar o nome de todos e uma

síntese da origem do mesmo e fixar no mural.

Observações: Todos deverão trazer a entrevista no dia marcado, oportunizando o

desenvolvimento da responsabilidade desde pequenos, e, caso isso não aconteça,

o professor deverá estar preparado e saber qual atitude tomar frente a este

problema.



2 – Fichário:



Objetivo: Identificar seu nome

Procedimentos: Montar na sala de aula um fichário com cartões de cores diferentes: Com letra de imprensa maiúscula.

Combinar com a turma o momento e o modo como deverão utilizar as fichas. ( De

acordo com o professor) – Pode ter em cada ficha uma foto 3x4 da criança.

Sugestão de Atividades: Identificar o nome – Escrever o nome.



3 – Lista de Palavras:



Objetivo: Identificar em diferentes palavras a letra inicial do seu nome.

Materiais: Tesoura, Revistas, Jornais, Folhetos, Cola, Folhas de ofício.

Procedimentos:

• Explorar com a classe a letra inicial do nome.

• Recortar e colar a primeira letra do seu nome em folhas de ofício.

• Ler com a turma as letras encontradas e juntos identificar seu nome.



Sugestão de Avaliação: Reconhecer, em lista de palavras, aquelas com a letra

que inicia o seu nome.

4 – Letras Móveis:



Objetivo: Conhecer as letras e identificar seu nome através de brincadeira.

Material: Letras móveis que podem ser de madeira, EVA, papelão e etc...

Procedimentos:

• Deixar expostas na sala às letras para haver um contato maior por parte das

crianças com o material.

• Propor que, em diferentes momentos de aula, as crianças utilizem as letras

para a tentativa de identificar a primeira letra do seu nome.



Sugestão de Avaliação: Escrever seu nome numa brincadeira.

Observações:

• Este material permite à criança fazer uma correspondência de letras, posição e

ordenação das mesmas.

• Se as letras forem de papel ou papelão, seria interessante que as crianças

ajudassem na (pintura)confecção do próprio material, orientadas pelo professor.



5 – Bingo:

Objetivo: Conhecer as letras que compõem a escrita de seu nome através do jogo.

Materiais: Cartelas de cartolina ou papelão; tampinhas de garrafa ou pedrinhas

para marcar as letras; folhas de desenho; fichinhas com as letras dos nomes; cola;

papel colorido ( para fazer bolinhas de papel ) ou palitos de fósforo usados.



Procedimento:

• Cada criança receberá uma cartela com a escrita do seu nome.

• O professor sorteará as letras, dizendo o nome de cada uma delas para que as

crianças identifiquem-as. Cada letra sorteada deverá ser marcada na cartela

caso haja no seu nome. Assim que a cartela for preenchida o aluno deve gritar:

BINGO!

• Logo que terminarem o jogo, será proposto um relatório realizado

individualmente, com a distribuição de fichinhas com as letras do nome ( Uma

ficha para cada letra) entregues fora de ordem.

• As crianças deverão ordenar as fichas, compondo os eu nome, e colocá-las em

uma folha de ofício.

• A professora pede que contem quantas letras há na escrita dos eu nome e

propõe que colem a quantidade representativa em palitos de fósforos ou

bolinhas de papel, na folha.

Sugestão de Avaliação: Reconhecer em fichinhas as letras que fazem parte da

escrita do seu nome.

Observação: É interessante que se repita o jogo várias vezes no decorrer das

atividades antes de se propor o relatório.



6 – Dança da Cadeira:

Objetivo: Reconhecer a escrita de seu nome dentre a escrita dos nomes de todos

os colegas.

Materiais: Fichas com a escrita de todos os nomes ( uma para cada nome ) e

cadeiras.

Procedimentos:

• O professor propõe às crianças que façam um círculo com as cadeiras.

• Depois distribui as fichas com os nomes para que as crianças fixem nas

cadeiras.

• Inicia-se a dança das cadeiras onde ao término da música cada um deverá

sentar na cadeira onde consta a ficha com o seu nome.

Sugestão de Avaliação: Realizar a brincadeira diversas vezes sempre trocando as

cadeiras de lugar.



7– Sapata ou Amarelinha:

Objetivo: Reconhecer as letras que compõem seu nome.

Materiais: Pedrinhas e giz.

Procedimentos:

• Cada aluno irá traçar no pátio da escola sua amarelinha. Neste momento, uma

amarelinha será diferente da outra, quando os nomes não possuírem a mesma

quantidade de letras.

• Utilizando a pedrinha marcarão a letra que não deverão pular.

• O professor pode aproveitar a ocasião para questionar o aluno: Qual a letra

que vem primeiro? E depois qual será?

Sugestão de Avaliação: Escrever seu nome após pular a amarelinha.

Observação: Este tipo de brincadeira trabalha a ordem da escrita do nome,

possibilitando ao aluno identificar qual a primeira letra, qual a segunda, e assim

por diante até formar seu nome.


Idéia:

Com o trabalho da História do nome de cada aluno é interessante que sejam

pesquisados os diferentes significados dos nomes de cada um e seja

montado um mural com os mesmos: ilustrações feitas pelas crianças, a forma

que sabem escrever o nome, o desenho de seu nome, seu auto-retrato, fotos

das crianças – Este fica a critério do interesse e da criatividade do professor.

É um tema rico, importante e que, certamente, encantará aos responsáveis e

a toda equipe da escola exposto num belo mural.

Aproveite esta idéia e dê na montagem do mural uma originalidade,

mostrando a sua personalidade e a de sua turma.

Você pode e deve tirar um dia somente para a realização desta tarefa .

É fundamental a participação das crianças em cada detalhe.

Pesquisa feita no blog www.projetospedagogicosdinamicos.com e adaptado por Cida Marques

Postar um comentário

Maria Aparecida Rodrigues Marques

Minha foto

Professora Maria Aparecida R. Marques mas podem me chamar de (Cida Marques) Professora graduada em pedagogia pela Fundação Universidade do Tocantins e Pós Graduada em Artes, Gestão Publica , Educação Infantil e Series Iniciais pela Faculdade de administração FACEL. Professora concursada em duas matriculas pela rede municipal. Contato pelo email: cidarmarques2@hotmail.com tenho 45 anos, sou casada, tenho dois filhos lindo, um de 05 anos e o outro 24 anos. Trabalho na Educação Infantil municipal a 22 anos. Amo o que faço, busco sempre melhorar, procuro entender meus alunos para poder ajudá-los. Para mim ser professora é uma missão. Agradeço a Deus por ter me dado essa oportunidade e os meus pais por terem me incentivado.

Plano de Aula, História, Resenha, Relatório, sequência didática, #EducaçãoInfantil, Projetos,Releitura,Música,Brincadeiras Dirigidas, Teatro...

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email